29/09/2017
POLÍTICA
Presidente do TJ-SP visita obras do novo Fórum da Comarca de Barueri
O projeto pode ser entregue antes do prazo previsto
Haydée Eloise Ribeiro Maciel
Visita. Da esq., Mauro Dottori; Maicel Anésio Titto, presidente da OAB subsede Barueri; Rubens Furlan; dembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti; e Anelise Soares, juíza da Comarca de Barueri (Fonte: Victor Silva/Folha de Alphaville)

Na quarta (27), o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), o desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, fez visita às obras do novo prédio do Fórum da Comarca de Barueri. Em fase adiantada da execução de pré-moldados, pode ser entregue até dezembro de 2018, antes do prazo previsto. Ele fica entre a PUC de Barueri e a Secretaria de Mulher, na Vila Porto. “O prefeito Furlan sonha em ver o município sempre na vanguarda. A obra parece uma cidade judiciária e não um simples Fórum. É um prédio moderno, construído dentro dos padrões que facilitam manutenção e ampliação”, disse Mascaretti.

“Somos uma grande Comarca, muito importante, e com um volume muito grande de trabalho”, avaliou o prefeito de Barueri. O investimento total é de R$ 58.774.300. “Essa é uma obra para o 1º semestre de 2019, mas há pedido de antecipação do prefeito para o final do ano que vem. Vamos ver o que podemos fazer em termos de atendê-lo”, disse Mauro Dottori, presidente da empreiteira MPD Engenharia, que também esteve no encontro.

Magistrados do Poder Judiciário de Barueri e região, vereadores e secretários também visitaram a obra. Dottori abordou que o Fórum, de três pavimentos, terá 12 salas de promotores, 12 salas de juízes com audiências, 5 cartórios, hall de entrada, 10 cartórios e 234 vagas de estacionamento. Além de varas, tribunal do júri e celas; bancos, dormitórios para jurados e arquivo. Ele permitirá acessos separados aos presos, juízes, promotores e familiares dos detentos em dias de julgamentos. Magistrados chegar ão às suas salas e a locais de audiências de forma independente (elevadores e passarelas). “O prédio é muito prático. É para ser durável, com investimentos que não exigirão muita manutenção”, ressalta Dottori.