21/09/2017
POLÍTICA
Vereador é acusado de intimidar professora
Haydée Eloise Ribeiro Maciel
Escola Escola José Emídio de Aguiar. Foto: Cirineu Jose da Costa/Divulgação

No dia 15/9, a professora de uma escola de Barueri esteve na Ouvidoria do município para denunciar o vereador Rodrigo Rodrigues (PV). Ela relatou que o vereador chegou na sala de aula para retirar uma aluna, filha de um amigo. Porém, seu nome não estava na lista de autorizados. Rodrigues falava em tom alto, retirou a carteira do bolso e disse que não era cidadão e sim vereador. A professora sentiu-se intimidada e chamou a Polícia Militar. Ainda segundo o relato, ele iria procurar o secretário de educação para possível exoneração da profissional.

Em nota, Rodrigo Rodrigues diz que, na qualidade de cidadão barueriense, no último dia 15, ao ir até a Escola José Emídio de Aguiar para buscar sua filha e uma colega de sala, se viu envolvido em um fato isolado. Notadamente porque se confunde um infortúnio corriqueiro, que pode acontecer com qualquer pai de família, com a atividade de vereador. Nega que tenha usado a condição de vereador para ameaçar ou desrespeitar a professora. Diz ter respeito pela classe e jamais agrediria verbalmente um educador, que precisa ser valorizado. O caso foi resolvido com registro da ocorrência e entrega de autorização expressa de retirada da criança pelos pais à direção escolar. (Leia abaixo a nota na íntegra).

NOTA  À IMPRENSA

 Barueri, 21 de setembro de 2017.

  Rodrigo Rodrigues, na qualidade de cidadão barueriense, no último dia 15, infelizmente, ao ir até a Escola José Emídio de Aguiar para buscar minha filha e uma coleguinha de sala, vi-me envolvido em um isolado fato que está sendo divulgado em redes sociais que causa profunda tristeza, notadamente porque se confunde um infortúnio corriqueiro que pode acontecer com qualquer pai de família, com a atividade de vereador que atualmente muito me orgulho de exercer.

Primeiro, nego categoricamente que tenha usado a condição de vereador desta Cidade para ameaçar ou desrespeitar a professora. Tenho profundo respeito pela classe e jamais ousaria agredir verbalmente um educador de qualquer Cidade.

Este vereador reconhece a rigidez que causou o desencontro de informações tão maldosa e covardemente usada por adversários políticos, mas também vê com bastante incompreensão e injustiça a adoção de medidas nada razoáveis que estão sendo tomadas.

 É preciso prestigiar de forma honesta a ética, a educação e o respeito, valorizando-se a função essencial do educador.

 O caso já foi internamente resolvido, inclusive com registro da ocorrência e a entrega de autorização expressa de retirada da criança pelos pais à direção escolar, não representando os fatos pretéritos nenhum combustível a estimular a discórdia entre um pai e uma professora.

 

Atenciosamente

RODRIGO RODRIGUES