10/08/2017
POLÍTICA
Furlan anuncia cronograma de obras em Alphaville e Tamboré
Prefeito reforça melhorias com abertura e recapeamento da Via Parque, duplicação da Paiol e finalização de viaduto, entre outras
Lucia Camargo Nunes
Do terraço de seu gabinete, Furlan diz que está reorganizando a saúde e planejando 2018 (Foto: Victor Silva/Folha de Alphaville)

Após quase oito meses de gestão, o prefeito de Barueri, Rubens Furlan (PSDB), recebeu a reportagem da Folha de Alphaville com exclusividade em seu gabinete, para falar de feitos e desafios, alguns deles em Alphaville e Tamboré.

E antecipa: “Vamos inaugurá-la dia 28 porque estamos terminando a instalação das luzes de led. Está quase tudo pronto, mas quero recapear a Via Parque desde a alameda Xingu. Vou recapear toda Andrômeda até avenida Alphaville, agora. Daqui a 60 dias, concluída licitação, vamos colocar led de ponta a ponta na Dib Sauia até Santana de Parnaíba”, afirma. Led também vai iluminar a Rio Negro, Araguaia, Mamoré e outras avenidas da região.

“Hoje [quarta, 9] eu estive em outra obra, o viaduto sobre a Araguaia, a obra foi retomada, desde janeiro. Pagamos a Eletropaulo para fazer o aterramento da rede e por causa de uma ação judicial tivemos de mexer no projeto e deslocar uma parte do viaduto. A previsão de conclusão é para os primeiros meses de 2018.”

Ali perto, outra obra importante é o alargamento da avenida Paiol Velho, que faz fronteira com Parnaíba. “Estamos fazendo a licitação de nossa parte e essa obra sai. O relacionamento com Elvis [Cezar, prefeito de Parnaíba, também PSDB] é maravilhoso”, ressalta.

O segundo ano terá orçamento apertado. “Vamos perder R$ 300 milhões de receita por conta do ISS, então não poderemos nos comprometer com obras de grande porte. Vou ter de diminuir custeio em Barueri e muito. Não posso prejudicar a qualidade dos serviços, já estamos estudando orçamento. Conseguimos R$ 400 milhões este ano para investimentos, mas tive de indenizar 1.380 funcionários do Hospital Municipal, mais de R$ 40 milhões em indenizações e FGTS e INSS não recolhidos. Isso sai do investimento. Para 2018, o Brasil não cresce e com perda de receita faremos ginástica e vamos reduzir despesas”, sintetiza.

O objetivo é manter a boa infraestrutura de Barueri para atrair novas empresas. Mas sua maior preocupação é melhorar a qualidade dos serviços. “Avançamos bastante na segurança e educação, vamos avançar em saúde, e melhoraremos a infraestrutura, para a cidade suportar um crescimento de 5, 6% por ano.” Em relação às passarelas em frente ao Shopping Tamboré e alameda Rio Negro, com elevadores quebrados e espaço deteriorado há mais de ano, Furlan informa que em breve serão reativados. “Fizemos a compra dos elevadores e assim que chegarem faremos a reposição. Começa-se a reforma pelos elevadores.”

Ali também no Tamboré, o prefeito acaba de liberar uma obra anti-enchente. “O secretário de obras [Roberto Piteri, PPS, também vice-prefeito]fez projeto de drenagem da avenida Piracema, no final da Araguaia, para captar água, para evitar enchentes do verão. Acabei de liberar a obra, vai girar em torno de R$ 15 milhões. Além disso, queremos remodelar aquela região do Tamboré”, ressalta o prefeito. O Plano Diretor, admite Furlan, não avançou. “A preocupação hoje é recuperar a saúde e depois vamos partir para outro momento de reorganização da cidade. “Assim, o Plano Diretor fica para 2018.”

Prefeito estuda rever convênio com a Area

Desde a campanha, Rubens Furlan questionava a Associação Residencial e Empresarial Alphaville (Area). Agora, prefeito, ele vai além. “Eles não prestam contas, não dão satisfação daquela arrecadação brutal. O serviço não tem qualidade, para segurança já estamos colocando a nossa Guarda Municipal. Eles deixam a desejar em segurança, em varrição. Eles têm poucas atribuições. E são sempre os mesmos”, queixa-se o prefeito.

“Agora eu estou correndo atrás de outras coisas, mas tenho de rever esse convênio. Eles recebem muito dinheiro dos associados, a gente não sabe quanto porque eles não prestam contas, é uma caixa preta. Mas vamos mexer com isso, acho que o Brasil tem que ser passado a limpo em todas as esferas”, afirma. Ele estuda de a prefeitura assumir os serviços hoje executados pela Area – jardins, varrição, manutenção de calçadas, segurança. “Aqueles elevadores quebrados, eles não poderiam assumir a responsabilidade?”

E se a prefeitura assumir esses serviços, o prefeito quer tirar essa despesa de moradores e empresas. “Barueri tem segurança suficiente, serviço de varrição e jardinagem, a luz quem faz a manutenção e paga é a prefeitura. Quero fazer um estudo disso, de pedir para eles prestarem contas e depois de quanto cobram dos condôminos. Amanhã ou depois, podemos desonerar as pessoas, pois eles já pagam IPTU. Então é nossa obrigação. É isso que me preocupa e estou pensando lá na frente, se eu entender que não é mais necessário, a prefeitura assume todos os serviços e tira esse encargo dos moradores pagarem a Area”, conclui Furlan.