14/12/2017
FOLHA DO CARRO
Conjunto do Renegade o mantém em alta
Vendas do Jeep caíram, mas nem por isso deixa de ter ótimos atributos
Lucia Camargo Nunes

O mercado de veículos é mais fugaz do que se imagina. Se em 2016 HR-V (55.758 vendidos) e Renegade (51.563) reinavam entre os SUVs, o Honda continuou com boa participação este ano (até novembro, 43.508), mas perdeu espaço para outro Jeep, o Compass (líder, 44.068), lançado no final de 2016. O Renegade (até novembro, 34.988), por sua vez, também perdeu vendas a outro novato, Hyundai Creta (36.526).

Quarto SUV mais vendido até novembro, o Jeep Renegade mantém seus bons atributos. Compacto e confortável, foi avaliado na versão Longitude Flex, que parte de R$ 94.990. Para a versão 2018 a novidade é oferecer de série rodas de 18” (antes essas eram opcionais).

Essa versão vem com motor 1.8 flex de 139 cv de potência acoplado ao câmbio automático de 6 marchas e tração dianteira. O conjunto entrega desempenho satisfatório, com boa força nas arrancadas e disposição em ultrapassagens. Incomoda um pouco o ruído que o motor transmite para a cabine, que poderia ter melhor tratamento acústico. E o porta-malas é diminuto: apenas 260 l.



O consumo em percurso misto indicou no computador de bordo 7,6 km/litro com etanol no tanque e ar-condicionado a todo vapor. Bons números se comparado à medição do Inmetro: 6,5 km/l na cidade e 7,6 km/l na estrada (etanol) e 9,5/10,9 km/l com gasolina.

Compacto, o Renegade nem lembra ser um SUV e traz benefícios da evolução do segmento: ser robusto, alto e proporcionar bem-estar de um “sedãzão”. A suspensão, por exemplo, tem ótimo acerto e mantém o carro confortável mesmo no sofrível asfalto. A direção elétrica e a elevada posição de dirigir completam a boa impressão.


O capricho se estende ao acabamento. Bancos de couro e boa qualidade na forração interna podem até confundir com um importado, mas este Jeep é feito em Pernambuco.

O Renegade Longitude vem bem equipado. Aletas para trocas de marcha e comandos do sistema de áudio e bluetooth no volante, ar-condicionado dual zone, sensor de estacionamento traseiro com câmera, sistema Start&Stop, sistema de áudio com tela de 5” touch e até alerta de radar são de série.

No mercado desde 2015, o Renegade deve mudar em 2019. Resta saber se o futuro Jeep será tão bem acertado como este.