10/11/2017
ESPORTES
‘Estou em meu melhor momento’
Tetracampeão Lewis Hamilton foi surpreendido com pintura do artista Kobra
Lucia Camargo Nunes
. Entre particularidades, Hamilton diz que vive em hotéis e tem dificuldade de cumprir horários. Fotos: Victor Silva/Folha de Alphaville

Um Lewis Hamilton mais tranquilo e sereno, após conquistar o tetracampeonato no México (em 29/10), espera ainda vencer as duas corridas que restam no ano – nos GPs de Brasil (12/11) e Abu Dhabi (26/11).

Aos 32 anos, ele se mostra muito à vontade em terras brasileiras. “Tenho um carinho especial pelo Brasil, sou fã de Ayrton Senna, por quem eu conheci o Brasil. Desde o começo foi o Ayrton que me inspirou. Meu sonho sempre foi fazer algo parecido com ele”, diz o piloto britânico, que superou o ídolo em número de campeonatos e pole positions.

A recente mudança de estilo de vida e alimentação (ele se tornou vegan) podem reduzir um pouco sua fama de bad boy. “Quero ser uma pessoa melhor não só nas pistas, mas como fora delas. Quero ser a melhor influência aos mais jovens, que me veem como referência.”

Durante a entrevista coletiva do piloto, acompanhada pela Folha de Alphaville, Hamilton repetiu várias vezes o quanto tenta ser positivo, em encontrar o equilíbrio, que busca ultrapassar obstáculos e enfrentar desafios. Um deles, aliás, é vencer novamente na pista de Interlagos, onde ganhou apenas uma vez.

Outro desafio que colocou é o de ganhar também a corrida de Abu Dhabi. Seria uma forma de fechar bem a temporada em que se sagrou campeão, mas numa situação incomum: ser tetra chegando em nono, na difícil prova que enfrentou no México. “Não vou relaxar ainda, não sou assim. Tenho meus desafios, este fim de semana tenho que dar duro.”

A largada, por exemplo, é o que ele considera o mais empolgante. “Pratico muito o foco, presto atenção, a largada é a parte mais legal da corrida. Preciso entender meu corpo e minhas emoções e canalizar isso numa boa largada. E estou no meu melhor momento.”

Hamilton não faz conjecturas de seu futuro nem sobre se igualar ao maior vencedor da F1, heptacampeão Michael Schumacher. “Acho que nunca foi meu desejo fazer algo como Senna. Tenho 4 títulos, sou jovem, tenho tempo. A questão é ver o que quero. E quero ganhar as duas últimas corridas. Fecho esse capítulo e preciso escrever meu futuro. Não sei por quantos anos eu continuo, mas não tenho pressa”, afirma.

Em balanço de fim de temporada, ele procura ver erros e o que aprendeu. “Sempre aprendo coisas novas, avalio essa luta interior e de como poderia ser melhor. Este ano tive muito dessa atitude mais positiva do que tinha antes.”

Kobra e Hamilton com a miniatura doada a Viviane Senna

O tetracampeão da Fórmula 1, Lewis Hamilton, foi surpreendido por duas obras do artista Eduardo Kobra. E ambas inspiradas no seu grande ídolo, Ayrton Senna.

A Petronas, patrocinadora e parceira técnica da Mercedes, encomendou ao artista a pintura de uma miniatura do carro de F1. O piloto e Kobra autografaram a réplica, que foi doada ao Instituto Senna, na presença da sua presidente, Viviane Senna. O carro será usado no futuro em alguma ação beneficente para gerar fundos à entidade, que cuida de crianças carentes.

Kobra também presenteou Hamilton com o esboço de uma pintura de Ayrton que ele fez em um prédio na av. Paulista com a Consolação, com 41 metros de altura, em 2015.