19/05/2017
ESPORTES
Equipe Mercedes é boa de bico
Jean Todt, atual presidente da FIA, diz que vai disputar o 3º mandato consecutivo
Este foi o bico usado nas 4 primeiras provas deste ano

Por Wagner Gonzalez

A lgo pouco notado pelo grande público influenciou positivamente o desempenho de Lewis Hamilton à disputa pela vitória no GP da Espanha. Numa dupla demonstração de poderio econômico e tecnológico, a Mercedes desenvolveu um novo bico dianteiro, mais estreito e equipado com defletor lateral para direcionar o fluxo de ar para região inferior do cockpit. Asas e spoilers dianteiros de um carro de F-1 geram 60% ou mais da carga aerodinâmica, daí a razão de tanta pesquisa e experimento em tal setor dos monopostos.

O poderio tecnológico dos alemães foi importante para encontrar a solução que processa o fluxo de ar em torno da junção do bico com o monocoque, região bastante “suja” do ponto de vista de escoamento do fluído. Esta situação é decorrência do impacto aerodinâmico provocado pelos braços da suspensão, movimento radial e axial do conjunto roda/pneu, a deflexão pré-calculada da asa dianteira e até mesmo a temperatura do ar, afetada pelo calor concentrado no asfalto, normalmente mais quente quanto mais próximo do piso.

Esse novo defletor podia ser visto no contorno inferior dos locais das câmeras de bordo instaladas na suspensão dianteira. O próprio sistema de fixação das câmeras foi trabalhado para diminuir a turbulência no local e criar uma nova fonte de pressão aerodinâmica positiva.

Novo bico instalado no W08 a partir desta prova

Já o poderio econômico se fez notar em função dos custos de produção da nova peça e, principalmente, e gastos para homologar novos bico e asa dianteiros, experimento que demanda cerca de US$ 75 mil, segundo declaração de Ross Brawn nos tempos em que era dono de sua própria equipe, a mesma que hoje funciona como… Mercedes.

Outras modificações, exigidas pela FIA a partir do GP da Espanha, implicaram no reforço de fixação e estrutura da chamada Asa T. No caso da Mercedes, a região traseira do também ganhou apêndices modificados em torno do escapamento e asa traseira. Importantes foram as alterações para eliminar cerca de 3 kg de peso, resultado obtido com soluções tão drásticas quanto eliminar a garrafa que Lewis Hamilton costuma levar a bordo para se hidratar durante a corrida…