09/03/2017
ESPORTES
Nos treinos da Fórmula 1, o futuro está de volta
Mercedes e Ferrari dominam as atenções, e Massa faz o 3º melhor tempo
Primeiros treinos da temporada começaram intensos

Os treinos de pré-temporada da F-1 sempre ajudam a dar uma boa ideia sobre as forças do bem e do mal que irão prevalecer nos próximos 20 capítulos do campeonato. Conclusões ficarão mais claras após três ou quatro corridas, mas o que aconteceu em Barcelona já dá ideia de como andam as coisas.

Equipamentos de testes, número de voltas e decisões tomadas a cada pane são indicadores mais confiáveis nesse jogo de especulação com fundinho de verdade, jogo onde Mercedes e Ferrari sobressaíram, Williams surpreendeu e a Red Bull viveu o primeiro soluço com o motor Renault rebatizado Tag Heuer.

A Mercedes foi a equipe mais rápida. Numa demonstração de força, o time apareceu com novas soluções de aerodinâmica, a mais interessante delas um capô traseiro que mostra uma barbatana de tubarão reduzida e com uma abertura superior. Com isso, consegue-se melhorar o fluxo de ar que se move em direção à asa T e ao aerofólio posterior.

O time alemão também fez medições da turbulência na região posterior às rodas dianteiras.
A Ferrari passou das 100 voltas e registrou 128, todas elas com Sebastian Vettel, o mais rápido de manhã. Mas a Scuderia teve algumas preocupações com o comportamento da suspensão traseira do chassi.

Completando o trio de times que superou 100 voltas, a Williams surpreendeu e mostrou-se mais confiável e eficiente que a Red Bull. Felipe Massa era só sorrisos ao final dos treinos e o responsável pela equipe na pista, Rod Nelson, fez trabalho dos mais variados: saídas à pista para completar séries curtas e longas de voltas, variando acertos de suspensão, pneus médios e macios.

Estreante na Renault o alemão Nico Hulkenberg comentou que “não tivemos um dia livre de problemas, mas foi boa estreia”. Segundo Nick Chester, responsável pelo chassi, “nosso maior problema foi com dutos dos freios dianteiros”.

Na McLaren, mais do mesmo: novamente o motor Honda deu problemas e Fernando Alonso já reclamou: “Espero que isso não se repita. Já perdi um dos quatro dias de testes o que não é bom.”