01/09/2017
ECONOMIA
GPTW premia as 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil
Oito empresas estão sediadas em Barueri e região
Lucia Camargo Nunes
Ruy Shiozawa: 'Empresas crescem acima do PIB'

O Great Place to Work (GPTW) divulgou o ranking 2017 das 150 Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil. Esta é a 21ª edição e mais uma vez houve recorde de companhias inscritas no processo de avaliação para alcançar uma posição no disputado ranking GPTW, sinônimo de excelência em ambiente de trabalho e referência em negócios com rentabilidade acima da média, em âmbito mundial.

Em 2017, 1.963 companhias participaram das pesquisas, 26% a mais em relação às 1.563 do ano anterior. A regra para se candidatar ao ranking nacional era ter ao menos 100 funcionários. No total, essas empresas empregam cerca de 2 milhões de pessoas, fundamentais para que as organizações conquistem uma posição no ranking GPTW, uma vez que a avaliação direta dos funcionários é determinante na nota final.

Das 150 empresas premiadas, oito delas estão sediadas em Barueri e região: Mercado Livre, Cielo, Alelo, ReachLocal, McDonald’s, Ticket, Banco Bradesco e Embracon. Os colaboradores são principais responsáveis por Elektro, Laboratório Sabin, Kimberly-Clarck, Magazine Luiza e Gazin estarem no topo da lista das melhores de grande porte, como Carterpillar, Accor, Tokio Marine, Mars e Dell. Nas de médio porte, destaque para Sama, Special Dog, SAP Labs e WMware.

Na cerimônia de premiação, no Espaço das Américas, na capital paulista, além dos representantes das 150 empresas, a participação do CEO global do GPTW, Michael Bush; do CEO do GPTW Brasil, Ruy Shiozawa; e de CEOs dos escritórios GPTW na América Latina. “Nossos levantamentos mostram, entre outros dados, que as empresas que são great place to work crescem significativamente acima do PIB e têm média de rentabilidade sobre o patrimônio líquido mais alta que a do mercado”, diz Ruy Shiozawa.

Para 96% dos colaboradores, suas empresas são melhores porque são ambientes em que são bem tratados, independentemente de cor, raça, idade, sexo e orientação sexual; 94% se sentiram bem-vindos ao ingressar nessas companhias; 93% consideram que trabalham em ambientes seguros; 92% têm orgulho do que a organização faz; e, não à toa, 94% têm orgulho de dizer para outras pessoas onde trabalham.

Para 76%, os salários que recebem são adequados; 69% consideram ser justa a participação que recebem nos lucros; 73% acham que promoções são dadas a pessoas que realmente merecem; 74% dizem que os chefes evitam favoritismo; e 76% afirmam que lideranças envolvem pessoas em decisões que afetam suas atividades.