30/08/2017
ECONOMIA
Automação residencial nas casas de Alphaville
Casas automatizadas reduzem o gasto de energia em até 30% devido aos recursos de controle de iluminação e ar condicionado nos cômodos

A tecnologia evoluiu e já permite que todas as funções de uma casa – como acender as luzes, ligar a televisão e outros aparelhos, abrir cortinas e muito mais – sejam feitas a partir de simples comandos realizados através dos smartphones ou tablets dos moradores.

Tudo acontece por intermédio de um software onde utensílios e eletrodomésticos são programados para interagir a partir de uma central de controle que recebe os comandos e retransmite para os aparelhos.

Conquistando cada vez mais espaço no mercado imobiliário de alto padrão, as casas automatizadas, ou casas inteligentes, são construídas com recursos de alta tecnologia (IoT ou Internet of Things) e, segundo empresas que prestam esse tipo de serviço na região de Alphaville, os benefícios vão muito além do luxo.

A segurança que a tecnologia oferece inclui recursos como, sistema de monitoramento 24 horas com sensores de calor e câmeras de segurança, detectores de fumaça ou vazamento de gases inflamáveis, fechaduras com leitura de biometria, reconhecimento facial e até mesmo serviço de câmeras internas para monitoramento de idosos sem a necessidade de uma presença física no local.

Praticidade também é algo que chama a atenção, segundo esse site. Os moradores podem controlar funções da casa a distância, como por exemplo, em viagens ou quando é necessário passar o dia fora.

E ainda, segundo a empresa Avantime, que presta serviço na região, casas automatizadas reduzem o gasto de energia em até 30% devido aos recursos de controle de iluminação e ar condicionado nos cômodos.

Novos imóveis já são construídos com sistemas integrados a esta tecnologia, porém para a implementação em unidades mais antigas é necessário desembolsar até R$ 200.000 para ter a residência completamente automatizada.

Este recurso para residências é considerado tendência em muitos países, mas por enquanto, no Brasil, o serviço está restrito a bairros de alto padrão – como é o caso de Alphaville.