03/07/2017
ECONOMIA
Tempos Líquidos? Descubra o que tem a ver com você
Tempo Líquido é um conceito do sociólogo polonês Zygmunt Bauman para definir a atualidade
Daniele Matos, gerente de RH na Kantar Ibope Media Brasil e diretora da ABRH-SP Sorocaba, deu boas ideias, durante o encontro do Grupo de Profissionais de RH. Foto: Divulgação

Ele criou a expressão para descrever esse momento da Humanidade em que as relações mudam a cada instante e em que nada é feito para durar. Em um cenário de incertezas e mudanças, 82% dos brasileiros dizem estar sempre cientes da necessidade de identificar e gerenciar riscos, 20% a mais do que a média global. E, mesmo com horários flexíveis e a subversão dos períodos do dia, 52% afirmam que a vida é tão corrida que gerenciar o dia é um desafio constante. No mundo, a média é de 43%. Você se encaixa nessa maioria?

No universo do trabalho, a sigla VUCA incorporou essas características. VUCA quer dizer, em inglês: Volátil, incerto, complexo e ambíguo. E como cuidar de pessoas enquanto as combinações vão se multiplicando?

Daniele Matos, gerente de RH na Kantar Ibope Media Brasil e diretora da ABRH-SP Sorocaba, deu boas ideias, durante o encontro do Grupo de Profissionais de RH, no Hotel Bourbon, aqui em Alphaville. “Quase 100%das ações que pensamos era com verbas pequenas. Pensem numa ação pequena que pode gerar um impacto muito grande. É possível”, ressaltou a diretora.

A empresa delineou quatro “Golden Opportunities” em que outras companhias também podem se inspirar. Primeira: inovar, simplificar, satisfazer e surpreender. A segunda é engajar: interagir e envolver na estratégia. A terceira é conhecer o seu time: diversidade e complementaridade. E, finalmente, a quarta é sobre a mudança no papel da gestão: experiência e propósito.

Para abrigar a mão de obra da geração Y, Daniele destacou as rotinas: Feedbacks constantes. Sobre planos de carreira, eles querem sentir todo dia, toda semana, que estão evoluindo. Não é só mudar de cargo, pode ir conhecer outra área, ir para fora”, relatou Daniele. “As descrições de cargo mudam toda hora. Não dá para ser estático, tem que estimular a criatividade, em um mundo que aponta para profissões que ainda nem existem. 

Entre as iniciativas da empresa para flexibilizar, criaram o dia da bermuda. O exemplo foi seguido por outras companhias. E mais: no verão todas as sextas, às 15h, o expediente acaba para que os colaboradores possam curtir o fim de semana. “Tentar barrar o novo é enxugar o mar. Hoje nós não retemos, nós engajamos. A gente tem que trabalhar para criar um ambiente para que as pessoas queiram estar na empresa”, concluiu Daniele.

Material produzido pela ABRH-SP Metropolitana Oeste