13/04/2017
ECONOMIA
O que levar em conta na hora de escolher o sofá para sua casa
Especialista ajuda nessa decisão para o modelo ideal, que decore e agrade toda a família
Haydée Eloise Ribeiro
Amanda Forlin, diretora de marketing da Design da Vila

A manda Forlin, diretora de marketing da Design da Vila, dá dicas na hora de escolher o sofá. “Comprar um sofá é mais ou menos como escolher um marido: vocês se conhecem, se apaixonam e vão morar juntos felizes para sempre. É importante observar uma série de fatores antes de levar o seu escolhido para casa”, afirma Amanda. Formato, tamanho, estrutura, encosto e braços e tecido devem ser levados em conta.

Tamanho. Para ambientes maiores, as opções são mais flexíveis. Foto: Tânio Marcos/Folha de Alphaville

Formato
O melhor ponto de partida para definir o formato do móvel é olhar onde ele será usado. “Retangulares são tipos mais comuns, seguidos por modelos em formato de L. Mas, dependendo do tamanho e da orientação que gostaria de dar ao espaço, ideal pode ser um sofá curvo”, diz.

Tamanho
O tamanho do espaço é fator importante para determinar as dimensões do móvel. “Sofás muito pequenos em ambientes grandes passam uma sensação de vazio, ao mesmo tempo em que sofás grandes em ambientes pequenos comprometem a circulação e a sensação de conforto do ambiente”, ressalta a diretora de marketing. Em espaços pequenos, opte por modelos com pernas estreitas e elevadas do piso, pois criam ilusão de espaço. Para ambientes maiores, as opções são mais flexíveis. “Escolha modelos maiores com pernas ocultas e brinque com pernas de diferentes formatos e acabamentos em outros móveis como poltronas e mesas laterais”, acrescenta.

Meça tamanhos das portas, corredores e elevadores que levarão até o local do móvel. Para o cliente imaginar como o sofá ficará no ambiente, a Design da Vila tem softwares que permitem inserir o modelo na casa.

Espaços pequenos. Opte por sofá com pernas elevadas do piso. Foto: Tânio Marcos/Folha de Alphaville

Estrutura
“A qualidade e acabamento de um sofá são importantes inclusive em partes que não estão acessíveis aos olhos, como na estrutura, no enchimento, nas molas, na mecânica e na costura”, diz Amanda. Por isso, vale perguntar sobre detalhes da peça, que fazem toda a diferença na durabilidade e no conforto.

Encosto e Braços
Em momentos de descontração com a família, opte por modelos com assentos mais profundos e braços mais baixos, possibilitando deitar ou sentar confortavelmente na hora do filme ou da conversa. “Já se o sofá for para receber visitas, escolha modelos menores com encostos menos profundos e componha o ambiente com poltronas e pufes, fornecendo mais opções de assento”, afirma Amanda.

E um sofá coringa, que atenda às duas ocasiões? “A escolha pode ser um sofá retrátil ou até um modelo reto com boa profundidade, além de pufe para esticar as pernas e relaxar.”

Área externa. Tecidos resistentes ao sol e à água. Foto: Tânio Marcos/Folha de Alphaville

Tecido
Sofás em couro são mais duráveis e fáceis de limpar, mas menos confortáveis para relaxar e tendem a ser frios no inverno e quentes no verão. Os modelos que levam tecido são mais confortáveis, porém mais sujeitos a sujeiras e manchas. Para quem tem crianças ou animais em casa e prefere o conforto dos sofás em tecido, “opte por cores mais escuras, tecidos com fibras sintéticas, mais resistentes a rasgos e manchas, ou modelos com capas laváveis”, acrescenta Amanda.

Para  áreas externas, o ideal são  sofás com tecidos resistentes ao sol e à água. “São tecidos com fibras acrílicas na composição, que podem ser lavados na máquina”, destaca ela.

pCrianças e animais. Modelos com tons escuros são ideais. Foto: Tânio Marcos/Folha de Alphaville