11/08/2017
COLUNISTAS
Vexame anunciado
Colunista da Folha de Alphaville

Quem me acompanha sabe que sempre fui crítico da forma como o futebol do Palmeiras é administrado de janeiro de 2015 para cá. Excesso espantoso de gastos sem a proporcional qualificação do grupo de atletas é o maior problema. Triste que tudo isso só tenha vindo à tona agora, após seguidos vexames na temporada.

Quando um executivo de futebol vira protagonista é sinal que algo está errado. Num clube com trabalho virtuoso esse profissional não pode aparecer. Que muitos nem saibam o nome dele. O importante é que ele organize o trabalho, faça com que cada profissional renda o máximo no desempenho das suas funções e que um profissional respeite a função do outro para que todos atuem em harmonia. No Palmeiras, decididamente, não é assim.

Também não deu para engolir o que aconteceu no final do ano passado, quando o treinador campeão brasileiro simplesmente foi embora. Contrataram um substituto que já veio para ser fritado. Então o técnico campeão volta com o salvador da pátria. Ora, se ele se dispôs a voltar, por que raios saiu então ?  Não tinha como dar certo.

O ex-presidente mecenas também não pode ser esquecido nessa hora, afinal, foi ele quem inventou esse executivo de futebol, inventou esse treinador e, mais importante, inventou o atual presidente, uma figura sem nenhuma história ou representatividade na vida do clube. Espero que ele resolva aparecer nas próximas horas e não se limite a ficar escondido dentro de um carro de corrida.

Fato é que, com o descomunal volume de dinheiro investido, o Palmeiras tinha a obrigação de ter jogadores melhores e, o que é principal, apresentar um futebol bem mais qualificado. Tomara que os verdadeiros responsáveis por essa situação ponham a cara à frente e arquem com as consequências.

 




Jornalista e administrador esportivo. Trabalhou nos principais veículos de comunicação do país, foi gerente de futebol do Grêmio Barueri e secretário de esporte da cidade. Atualmente é âncora e comentarista da Rádio Transamérica.