12/05/2017
COLUNISTAS
Um grande salto
Colunista da Folha de Alphaville

A arte da medicina consiste em distrair o paciente enquanto a natureza cuida da doença, de acordo com Voltaire, filósofo francês. Quero convidá-los a uma jornada entre o passado e o futuro, compartilhando informações sobre pesquisadores que fizeram ou estão fazendo historia, incisivamente na procura da cura de doenças, permitindo que os seres humanos vivam mais e em plenitude. Começo pelo passado através de Andreas Vesalius, que elaborou o 1º livro de anatomia com desenhos hiper-realistas. Já Antony Leeuwenhoek descobriu as bactérias. William Harvey criou a obra fundamental sobre a circulação sanguínea. Edward Jenner descobriu o princípio da vacina e Crawford Long, a anestesia. E através de Wilhelm Röntgen criou-se o raio-x. Ross Harrison identificou o perigo do consumo de gorduras que geram colesterol ruim. Cito também Alexander Fleming e Maurice Wilkins – um descobriu a fórmula da penicilina, 1º antibiótico do mundo; o outro foi o primeiro 1º a isolar a molécula de DNA e fotografá-la, revelando a forma helicoidal.

Agora olhando o futuro: pesquisadores italianos descobriram que a morte de neurônios da região vinculada às mudanças de humor está ligada ao surgimento do mal de Alzheimer. Esta descoberta pode trazer nova maneira de detectar a doença. Pesquisadores do NIH, nos EUA, disseram terem descoberto anticorpo produzido por paciente soropositivo que neutraliza 98% de todas estirpes de HIV testadas e, em paralelo, brasileiros do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais criaram nanopartículas que podem inativar o vírus HIV. No Brasil, cientistas da UFMG desenvolveram vacina contra o vício em cocaína. A droga ainda está na fase de testes em animais, mas promete acabar com a dependência química do crack também. Esperança para milhões, cientistas da Universidade da Califórnia pretendem lançar primeiro rim artificial biônico, que imita com perfeição o rim humano. A FDA americana aprovou testes para a vacina que pode controlar a diabete. Chamada Bacilo Calmette-Guérin, esta vacina será testada em adultos com estágio avançado da doença. Cientistas da Universidade de Manchester dizem ter encontrado cura para cegueira através da substituição de células de visão nos olhos, por nova terapia genética. Cientistas franceses criaram fita protética com eletrodos e esticada pela medula espinhal, que permitirá que humanos com paralisia sejam capazes de andar.

Estas informações são públicas e estão em fase de testes e pretendem ser um divisor de águas na medicina e na qualidade de vida dos seres humanos.




Ricardo Cancela é entusiasta em inovação, empreendedor, palestrante e conselheiro em empresas