12/01/2018
CIDADE
Cidades não terão vacinação fracionada da febre amarela
Barueri, Santana de Parnaíba e Itapevi continuam aplicando a dose integral
Gláucia Arboleya
Em Barueri, vacina é aplicada nas UBS´s durante a semana, das 8h às 16h Foto: Rodrigo Albertini/Folha de Alphaville

A região está fora da primeira lista divulgada pela Secretaria Estadual da Saúde dos municípios que receberão a vacina fracionada (que não será destinada para todas pessoas, de acordo com cada especificidade) contra a febre amarela; mais fraca que a dose integral e protege por até nove anos, para campanha de imunização que se iniciará no dia 3 de fevereiro. No sábado (6), a pasta anunciou a ampliação para todo o Estado. A decisão foi tomada após a morte de dois homens que estiveram em dezembro na cidade de Mairiporã, na Grande São Paulo, foram infectados lá, mas moram na Capital. A terceira vítima faleceu em Guarulhos, depois de ter contraído a doença na zona rural de Nazaré Paulista.
Sobre a decisão de fracionar a vacina, o secretário David Uip disse que a dose será dividida para ampliar a imunização. A determinação do Estado é de que as prefeituras continuem oferecendo a vacina integral até durarem os estoques.
Em Alphaville, a dose pode ser encontrada na UBS do bairro (Estrada Municipal Bela Vista, 1687-1731 - Residencial Onze (Alphaville), Santana de Parnaíba), de segunda à sexta-feira, das 8h às 15h30. Santana de Parnaíba foi a pioneira da região na realização da campanha de bloqueio, em novembro de 2017. De acordo com o infectologista do Hospital Santa Paula, Marcelo Mendonça, a proximidade com a Serra da Cantareira explica a ação. “O município é continuação da área, proximidade de mata, onde existe um quadro grave da doença”.
Na cidade de Barueri, a vacina está disponível em diversas Unidades Básicas de Saúde nos bairros Silveira, Jardim Maria Helena, entrei outros, das 8h às 16h, durante a semana.

Especialista
Marcelo Mendonça ressalta que não há motivo para pânico. “A vacinação ampliada e a fracionada é uma estratégia para imunizar todos em tempo hábil, já que não há como esperar a fabricação da vacina integral e, assim, impedir que aconteçam casos de febre urbana. É um momento de vigilância e de atender as recomendações. Quem já tomou a vacina integral está imune para toda a vida”, explicou. Sobre os idosos, ele diz que é preciso avaliar os riscos x benefícios, junto à um médico, já que a dose pode acarretar a doença por conta do vírus atenuado.
A imunização é indicada para adultos não vacinados e crianças a partir de 9 meses (em áreas de risco, crianças a partir de 6 meses). Não é recomendada para gestantes, lactantes, pessoas com alergia a ovos ou derivados, transplantados e pacientes em tratamento com quimioterapia, radioterapia e com corticoides em doses elevadas.