24/11/2017
CIDADE
Falta de sinalização coloca em risco estudantes da Fieb
Mudanças viárias na av. Andrômeda confundem motoristas e pedestres e levam perigo às travessias
Katherine Cifali
Ausência de farol e sinalização força pedestres a atravessarem sem segurança. Fotos: Victor Silva/Folha de Alphaville

De um lado da avenida Andrômeda, em Alphaville (Barueri), a Fundação Instituto de Educação de Barueri (Fieb), unidade de Alphaville Professora Maria Theodora. Do outro, a construção do Alphagran, um novo conceito de bairro na região, e entre os dois, há um projeto viário sem finalização.

Antigamente, no trecho havia uma rotatória com uma praça, mas por conta do impacto da obra de execução do empreendimento, um projeto gigantesco, com 279.000 m², via teve que ser modificada.

Foi quando tiraram metade da praça, deixando uma meia-lua, e criaram uma pista central, ou seja, o trecho passou a ter três faixas de rolamento, uma no meio (construída onde estava parte da rotatória), e as pistas ao lado. A ideia é que a pista lateral, sentido residencial Alphaville 2, virasse uma alça de acesso à portaria do empreendimento, um modelo viário comum das portarias de condomínios no bairro. A pista central se tornasse a única e principal via sentido avenida Alphaville. E a pista do lado da Fieb, com mão em direção à Via Parque, continuasse com sua funcionalidade. Entretanto, o projeto, até o momento, não funcionou.

“Não tem faixa, não tem farol. A praça foi destruída, cortaram 18 árvores, a Guarda Municipal não faz rondas na área, o Demutran aparece quando quer e a pista central está confusa, os motoristas que saem da via principal ou da lateral quase se encontram de frente. Fora os pedestres que caem e se machucam direto”, diz um morador da região que preferiu não se identificar.

Um dos maiores receios é em relação aos horários de entrada e saída dos alunos da primeira unidade da Fieb e sede da instituição. “Não houve um contato da prefeitura ou dos responsáveis pelo projeto. Não chegou nenhuma informação oficial para a Fieb nem uma previsão de conclusão da obra viária”, diz Claudia de Oliveira, do departamento de Comunicação da Fieb.

Os alunos atravessam sem faixas de pedestre, o ponto de ônibus foi levado para um local mais distante e os veículos estão estacionados em um bolsão de estacionamento improvisado. E não há sinalização, tanto para pedestres quanto para motoristas. “Fizeram a inauguração da via do meio, mas não houve aviso para a Fieb. Vimos que não estava bem projetado, solicitamos à prefeitura uma revisão, só que fizeram uma alteração paliativa, com o auxílio de cones”, relembra o diretor pedagógico da instituição, Daniel Foger, que reforça a preocupação da diretoria com relação à segurança dos alunos.

As mães também não estão satisfeitas, principalmente com a fiscalização no local. “Aqui eles [Demutran] só querem multar, não estão preocupados com a segurança dos alunos. Tenho que chegar às 17h e só pego meu filho às 18h15”, afirma a administradora Marta Diniz, mãe do aluno da Fieb, Guilherme Vanin, de 8 anos.

“Eles chegam a hora que querem, quando querem. Tem dias que nem vêm. Isso atrapalha muito” complementa Vera Bomfim, mãe de aluna do 2º ano do Ensino Fundamental.

A prefeitura de Barueri foi procurada, mas não retornou até o fechamento desta edição.