12/10/2017
CIDADE
Horário de verão começa neste domingo, dia 15, e vai até fevereiro
Katherine Cifali
Dias mais claros. A partir da zero hora de domingo relógios devem ser adiantados em 1 hora: mudança vai além dos 'ponteiros'

A partir de domingo, 15, começa o horário de verão. A mudança parece simples e muitos relógios já fazem a alteração automaticamente, mas para quem está na dúvida, assim que o relógio marcar zero hora de domingo, ou seja meia-noite, deve adiantar os ponteiros em uma hora.

Resumidamente, a medida é uma forma da população aproveitar mais a luz do sol, economizando energia e, consequentemente, o governo gasta menos com luz. Porém, a primeira vez que alguém cogitou adotar o horário de verão ainda não existia energia elétrica, a iluminação era à base de vela. Uma ideia de Benjamim Franklin, em 1784, sem notoriedade alguma à época.

Foi então, mais de um século depois, entre 1895 e 1898, que as pesquisas sobre o horário de verão do entomologista da Nova Zelândia, George Vernon Hudson, e do inglês William Willet, entre 1905 a 1907, ganharam notoriedade por mostrarem os benefícios de aproveitar mais a luz do dia. A Alemanha foi o primeiro país a adotar a medida, em 1916, uma forma encontrada para poupar o consumo de carvão, utilizado durante a 1ª Guerra Mundial.
Atualmente, o horário de verão é adotado em cerca de 30 países, como Rússia, Canadá, Nova Zelândia e Uruguai, porém na maioria a mudança não vale para todo o território nacional. Quanto mais distantes da linha do Equador maior é a diferença de luminosidade, portanto mais vantajoso adotar a medida.

No Brasil, por exemplo, a mudança só é aplicada nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Mas a princípio não era assim. Nos anos 30, o presidente Getúlio Vargas instituiu essa alteração para todo o território nacional. A mudança virou decreto presidencial a partir de 1985 e sua abrangência geográfica também foi reduzida. Apesar da economia, este ano, o governo hesitou antes de validar a medida anual, uma vez que dados indicam uma economia energética cada vez menor. De acordo com dados do Operador Nacional do Sistema (ONS), a redução passou de R$ 162 milhões em 2015/2016 para R$ 159,5 milhões durante o horário de verão de 2016/2017. 

Outro ponto levantado é com relação aos prós e contras da medida. Ao passo que a luz do sol estimula a prática de atividades físicas, estudos mostraram um aumento de procrastinação, variações hormonais, falta de atenção e até infartos. Para não sentir tanto os efeito, manter uma boa qualidade de sono é a saída. O horário de verão 2017/2018 começa à zero hora do domingo, dia 15 de outubro, e vai até às 23h59 do dia 17 de fevereiro de 2018, um sábado.