08/06/2017
CIDADE
Obras de ampliação da Castello: sem previsão
De acordo com governador Alckmin, projeto está aguardando análise do TCE
João Felipe Cândido
Cena diária das 7 às 10h na pista local da Castello, sentido interior: trânsito para pelos gargalos da via

A obra de extensão das marginais da Rodovia Castello Branco entre os km 23 (altura do Trevo de Alphaville) e o km 27 (2ª saída para Barueri) está em análise pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e sem previsão de quando poderá dar aval à concessionária CCR ViaOeste, que será a responsável pela remodelação.

Em visita a Barueri nessa quarta (7), o governador Geraldo Alckmin (PSDB) informou que o projeto aguarda o TCE.

“Toda obra nova precisa ser feita pelo que se chama de fluxo de caixa marginal. Ou seja, você dá um prazo maior na concessão [da rodovia, no caso à CCR] e viabiliza as obras. O TCE está analisando. Estamos aguardando há cerca de um mês. Vamos aguardar o pronunciamento do Tribunal de Contas do Estado. Sem isso, não é viável. Se obtivermos o OK, já verificamos os custos e o custo-benefício.”

O custo da obra seria zero para Estado e municípios, seria arcado pela CCR, que prevê, em contrapartida, a extensão do seu contrato de concessão.
O TCE não soube informar um prazo para essa análise.

De acordo com o prefeito de Barueri, Rubens Furlan (PSDB), a ampliação na rodovia melhoraria a fluidez do tráfego nos 15 pontos de entrada em Barueri. “Apenas das 7 às 10h, a cidade recebe diariamente cerca de 54 mil veículos. Há uma quantia significativa que é distribuída a 6 cidades vizinhas, então a melhora seria para toda a região.”

Entre as propostas na região de Barueri, estão previstas a construção de duas novas pontes sobre o Rio Tietê, na altura do km 25; eliminação dos cruzamentos em nível no Trevo de Alphaville, remodelação dos acessos nos km 26 e 27, que beneficia também Santana do Parnaíba.