21/09/2017
CADERNO A
Arte e cultura invadem o Alphaville Tênis Clube
A artista plástica argentina Damiana Suriani, que reside em Alpha, reúne 15 esculturas na exposição ‘Viagem ao Interior’
João Felipe Cândido

N ascida em Luján, Buenos Aires, a artista plástica Damiana Suriani, 45, se mudou para o Brasil em 1995. Decidiu estudar design de interiores e se encantou pela escultura, arte a qual pensamentos, formas, texturas e materiais conseguem dar vazão à sua fúria criativa e à sua paixão pelo belo.
Em 2007 começou estudar escultura em Alphaville, no ateliê da artista plástica Francisca Junqueira.

A partir de 2010, apresentou suas obras em diferentes exposições coletivas no Memorial de America Latina, na Cinemateca Brasileira em São Paulo e na Pinacoteca da cidade de Piracicaba, entre outros. Sua primeira exposição individual foi em 2013 no Museu Brasileiro de Escultura (MuBE), em São Paulo, e no ano passado suas obras estiveram no Instituto Cervantes, em São Paulo.

“Minhas obras não seguem modismos nem são feitas sob encomenda. Meus sentimentos desencadeiam todo o processo criativo”, diz. Cada escultura conta uma história, tem uma explicação, uma razão de existir. Também imortalizam momentos, pessoas e relacionamentos. Nascem como resposta a uma mobilização interior. Damiana acredita que com as esculturas, suas emoções perpetuam-se no tempo.

Viagem ao interior
Em cartaz no Espaço de Artes do Alphaville Tênis Clube até 2 de outubro, a exposição “Viagem ao Interior”, revela 15 esculturas da artista que representam uma viagem até o interior do ser humano, dando um passeio por sentimentos e sensações, conhecimento de fatos e pessoas.

"A cabeça" faz referência às múmias e reforçam a ideia de mistério

Os quadros em resina acrílica acima foram batizados de "Questionado"

A escultura é uma interpretação da reinvenção do indivíduo. Acredite se quiser, mas a obra foi produzida com sucata de bronze. "Conosco pode acontecer a mesma coisa. Basta querer e acreditar que a reinvenção acontece", diz a artista

Abaixo está a escultura "Pesadelo", em forma de espiral. "Tive um pesadelo repetitivo na infância e quis deixar revelado em forma de arte", ressalta Damiana