07/04/2017
CADERNO A
SP-Arte
Evento que reúne mais de 120  galerias do mundo vai até domingo (9)
Haydée Eloise Ribeiro Maciel
Obra de Alfredo Volpi, do Hilda Araujo Escritório de Arte

São mais de 120 galerias de arte moderna e contemporânea, entre nacionais e internacionais. Até dia 9, domingo, é possível conferir na 13ª edição da SP-Arte - Festival Internacional de Arte de São Paulo, que acontece no Pavilhão da Bienal, no Ibirapuera, na capital. Para a amante da arte e especialista em decoração Claudia Cristina Paronetti, sócia da iGaler!a, em Alphaville, as feiras atuais e principalmente a SP-Arte têm a função de aproximar arte de todos públicos, assim como as grandes exposições internacionais que têm acontecido no Brasil. “Em um país onde nas escolas ainda se estuda apenas educação artística ao invés de arte propriamente dita, e a grande maioria dos colégios não possui nem ateliê, nem tão pouco aprendem sobre a importância estética e cultural das intervenções artísticas, é um privilégio poder presenciar uma feira tendo à disposição obras executadas por grandes artistas e ver na prática o que vem sendo feito no mundo das artes e sua importância no cenário cultural e político de seu país”, afirma Claudia.

A especialista indica a visitação de galerias que vêm de fora do país e trazem para SP-Arte muitas obras de artistas renomados. “São obras que fazem parte das maiores coleções do mundo ou muitas vezes só poderiam ser apreciadas em museus da Europa ou América Latina”, diz ela.  “Muitas pessoas visitam museus em viagem, mas dificilmente saem para uma vernissage”, acrescenta.

Segundo relatório da publicação americana The Art Newspaper, a SP-Arte é a feira que mais cresceu no mundo em participação de galerias do top 20 mundial nos últimos 5 anos. “O nosso trabalho foi sempre no sentido de democratizar o acesso à arte, trabalhando pela formação de novos apreciadores e colecionadores, fazendo circular ideias e informações, divulgando eventos e exposições, criando prêmios de incentivo e ações”, afirma Fernanda Feitosa, diretora e fundadora da SP-Arte.

Entre galerias estrangeiras, destaque para David Zwirner, Marian Goodman e Alexander Gray, todas de Nova York. De Londres, participam, entre outras, Lisson, Stephen Friedman e White Cube. Da Itália vêm Franco Noero, Continua e Cardi. De Berlim, Neugerriemschneider e Gregor Podnar.
O festival conta ainda com o setor Design, voltado a mobiliário, iluminação, antiquário e objetos.

Arte de Tarsila do Amaral, da By Kamy